domingo, 7 de junho de 2015

Na memória de Astérix

A Banda Desenhada Astérix foi criada por René Goscinny e Uderzo há pouco mais de cinquenta anos, justamente a vinte e nove de Outubro de 1959. A primeira aparição foi apresentada na Revista Pilotee e o sucesso tem sido imenso ao longo de todos estes anos. Já foram publicados mais trinta álbuns, fizeram-se várias adaptações ao cinema assim como foram colocados à venda imensos produtos relacionados com os heróis da aldeia da Gália. Foi ainda criado um parque temático para ilustrar a magia de Astérix, Obélix e amigos.
O divertimento de Astérix passa pela forma criativa de uma aldeia a resistir ao domínio romano. Obélix, amigo de Astérix, com uso da sua força sobre-humana e Panoramix, o druida lutam magicamente contra os «loucos» romanos. Astérix usa uma linguagem que atraiu todos os seus leitores, assim como as referências feitas ao próprio século XX nas diferentes características dos povos que entram nos diferentes álbuns.

Astérix é no entanto muito mais que uma divertida história de quadradinhos. Astérix e a aldeia na Gália são a representação da França, do seu orgulho como País, da sua cultura a tentar resistir num mundo contemporâneo onde o império anglo-saxónico dominava já claramente.

Hoje, talvez não seja excessivo dizer que Astérix representa a humanidade no sentido da individualidade de comunidades que se apresentam diversas perante um mundo global. Falta-nos a poção de Panoramix e é por essa universalidade alcançada que Astérix é uma das grandes construções de ideias do século passado.

Imagem in, evaldolima.blogspot.com

Sem comentários:

Enviar um comentário